Logo Lógico Cursos e Aliados

Enem e vestibulares: veja 5 temas aplicados na análise do vírus da zika

A epidemia de zika mobiliza pesquisadores e autoridades em saúde de diversos países. Identificado pela primeira vez no país em abril, o vírus da zika e sua relação com a microcefalia têm importância suficiente para ser transformado em mote para questões no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e dos demais vestibulares.

O G1 apresenta abaixo cinco tópicos relacionados ao vírus da Zika analisados pelo professor de biologia Armênio Uzunian, do Anglo.

 

A EPIDEMIA DE ZIKA

"A epidemia de Zika, uma virose que afetou brasileiros a partir do anos de 2014, é uma boa oportunidade de avaliação do atual estado em que se encontra a saúde pública brasileira e os mecanismos preventivos que podem ser adotados no sentido de evitar novos e preocupantes casos da doença. É grande a possibilidade de o assunto ser abordado em questões do Enem e de vestibulares, por se tratar de tema atual, sujeito a muita contextualização, o que evidencia a grande possibilidade de sua abordagem nas questões desses exames. A importância do conhecimento da doença e de sua transmissão deve ser valorizada pelos estudantes. "

 

ZIKA: A ORIGEM

"Em uma floresta de Uganda (África Oriental), em 1947, foi relatado o primeiro caso de Zika em um macaco reso que vivia em cativeiro. Posteriormente, casos de seres humanos são relatados na Nigéria, em 1957, espalhando-se, daí, para outros países. Em 2007, na Micronésia, ilhas Yap, vários casos foram confirmados. Durante os anos de 2013 e 2014 o vírus espalhou-se rapidamente pela Oceania, Polinésia Francesa, e várias outras localidades. No Brasil, acredita-se que a virose tenha se manifestado pela primeira vez provavelmente durante a Copa das Confederações. Nos anos de 2014 e 2015 foram relatados os primeiros casos de microcefalia associados à virose em nosso país."

 

A TRANSMISSÃO

"Assim como ocorre com a dengue e a chikungunya, vírus da zika são transmitidos apenas por fêmeas do mosquito (pernilongo) da espécie Aedes aegypti, que se alimentam de sangue humano, uma vez que pernilongos machos alimentam-se de seiva vegetal. O sangue humano é essencial ao desenvolvimento dos ovos dos mosquitos, depositados em meios aquáticos. Após desenvolvimento embrionário no interior dos ovos, surgem larvas que permanecem no ambiente aquático até ocorrer metamorfose, originando mosquitos adultos. É importante lembrar que os ovos são muito resistentes à dessecação, permanecendo em estado latente até retornarem as condições para o seu desenvolvimento, ou seja, até que novas coleções de água se formem e permitam que completem sua maturação."

 

SINTOMAS E MICROCEFALIA

"Sintomas da virose zika muitas vezes confundem-se com os da dengue, embora não sejam considerados tão graves, levando-se em conta que a dengue, dependendo do subtipo de vírus, pode provocar morte, o que não ocorre com a zika. De modo geral, dores nas articulações e no corpo, febre, dor de cabeça, são os sintomas mais predominantes. Sem dúvida, a principal ocorrência relacionada à zika é a microcefalia. Inúmeros estudos, inclusive conduzidos por cientistas brasileiros, comprovam a relação microcefalia/vírus da dengue. Imagens divulgadas por diversos institutos de pesquisa mostram claramente a ocorrência de microcefalia, com danos provocados pelo vírus na formação de neurônios. "

 

PREVENÇÃO E VACINAS

"Assim como ocorre com a dengue, a prevenção tem como princípio fundamental impedir a proliferação dos mosquitos transmissores, ou seja, do Aedes aegypti. Para isso, é fundamental a conscientização da população brasileira de que se deve evitar a formação de criadouros dos mosquitos. Isso é conseguido com normas de saneamento básico, tais como não permitir a ocorrência de água parada, limpa ou não, em pneus abandonados, copos e garrafas de plástico, latinhas de refrigerantes, sacos plásticos, caixas de água destampadas etc. Outra via de transmissão devidamente comprovada é a via sexual e, por conta desse conhecimento, todos os cuidados devem ser estimulados, tais como a utilização de preventivos (camisinhas) ou, mesmo, evitar o contato sexual em caso de contaminação comprovada dos parceiros. Outra medida valiosa é a utilização de mosquitos geneticamente modificados, os conhecidos transgênicos, que conduzem à morte das larvas, ou, ainda, mosquitos que foram infectados por bactérias que impedem a proliferação dos vírus em seu interior, medidas que foram comprovadas no caso da dengue e que, provavelmente, também devem ser eficientes na zika. Sem dúvida, o mecanismo preventivo promissor é a vacinação. Notícias recentes relatam que serão iniciados testes clínicos de vacina contra zika nos EUA. Se tudo der certo, será mais um recurso preventivo valioso para o controle da virose."

 

Fonte: G1



MÍDIAS SOCIAIS

SAIBA O QUE ACONTECE NO LÓGICO CURSOS ALIADOS

QUARTEL GENERAL

Lógico Cursos Aliados
Av. Alberto Maranhão, 942
Tirol, Natal/RN

CANAIS DE COMUNICAÇÃO

+55 (84) 3201-3217
contato@logicocursosaliados.com.br

INFORMAÇÕES

SIGA-NOS

Facebook
Instagram